Máterias

Produtos Elaamil

Carla Móveis de Ibicaraí

Montare Moveis Planejados em Ibicaraí

Montare Moveis Planejados em Ibicaraí

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Por que Nossa Senhora Aparecida é padroeira do Brasil e 12 de outubro se tornou feriado nacional?


O feriado de 12 de outubro tem uma razão religiosa para existir, dentro da tradição católica brasileira: para a Igreja, a data é dedicada a Nossa Senhora Aparecida, santa considerada a padroeira do Brasil.


Nossa Senhora Aparecida é o nome que acabou sendo dado a uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, feita de terracota, 36 centímetros de altura e 2,5 quilos, que teria sido encontrada em outubro de 1717, mais de 300 anos atrás, por três pescadores no Rio Paraíba do Sul em São Paulo.

Como a santa foi "aparecida", a alcunha logo pegou.

O episódio foi considerado um milagre – e logo outros relacionados à santa foram sendo narrados. De sorte que a pequena capela originalmente erguida, em 1745, para abrigá-la passou a atrair mais e mais romeiros, e o local aos poucos se transformou em uma famosa cidade, Aparecida.

Hoje Aparecida é um dos principais pontos de turismo religioso do país. Anualmente, cerca de 12 milhões de romeiros visitam o Santuário Nacional – que recebeu, aliás, os três últimos papas do catolicismo, João Paulo 2º, Bento 16 e Francisco. No feriado dedicado à santa, o local costuma ser visitado por milhares pessoas.

Em julho de 2013, quando visitou o Brasil, o papa Francisco celebrou uma concorrida missa no Santuário Nacional de Aparecida. Ao fim da cerimônia ele afirmou que deveria voltar em 2017 – revelando, portanto, que estava em seus planos tomar parte nas comemorações pelos 300 anos da descoberta da imagem da padroeira brasileira.

No entanto, ele não voltou. A negativa acabou sendo justificada por problemas de agenda. Entretanto, especulou-se que ele teria declinado da possibilidade diante do cenário político instável atravessado pelo país desde o impeachment de Dilma Rousseff, ocorrido um ano antes.

Em mensagem em vídeos transmitida na missa do dia 12 de outubro de 2017, o papa criticou o "problema da corrupção no país".
 


E como foi que a santinha foi parar no rio?

Conforme aponta o jornalista Rodrigo Alvarez no livro Aparecida – A Biografia da Santa que Perdeu a Cabeça, Ficou Negra, Foi Roubada, Cobiçada pelos Políticos e Conquistou o Brasil, o mais provável é que alguém a tenha descartado porque ela estava quebrada – e muitos acreditam que ter uma imagem quebrada de santo pode dar azar.

Já a cor original da imagem da santa muito provavelmente não era negra. Ficar anos sob as águas deve ter tornado a imagem escura tal e qual a conhecemos.

De acordo com especialistas, entretanto, a devoção a Nossa Senhora Aparecida demorou para se espalhar em todo o Brasil. Para o teólogo e filósofo Fernando Altemeyer Júnior, professor de Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), esta fama de Nossa Senhora Aparecida se espalhou mesmo com o trabalho realizado pelos missionários da Congregação Redentorista, que iniciaram os serviços em Aparecida em 1895.

"Lentamente, a devoção popular acabou assumida pela Igreja Católica. O fervor foi amplificado com a chegada dos redentoristas e, depois, com a construção da Rodovia Dutra. Estrategicamente, Aparecida fica no meio das duas metrópoles, Rio de Janeiro e São Paulo", aponta o teólogo. "Antes, a devoção estava concentrada no Vale do Paraíba e Sul de Minas."

"Havia uma devoção, mas não em nível nacional, como hoje", diz o historiador e pesquisador Paulo Rezzutti.

No seu livro D. Pedro: A História Não Contada, ele relata que o próprio primeiro imperador do Brasil visitou a igrejinha onde a santa estava exposta. Aparecida foi uma das paradas do percurso que Pedro fez, a cavalo com uma comitiva, entre Rio e São Paulo, em agosto de 1822.

Viagem esta que acabaria terminando com a declaração da Independência do Brasil, às margens do rio Ipiranga.

Memorialistas populares afirmam que o monarca teria feito uma promessa ali: se ele se tornasse governante do Brasil, transformaria Nossa Senhora na padroeira do país.

Isto nunca ocorreu. "Em 1826, o Brasil ganhou seu primeiro padroeiro: São Pedro de Alcântara, por solicitação de dom Pedro 1º ao papa", conta Rezzutti. "Esse santo era de devoção particular da família imperial. É de onde vem o nome Alcântara, que está no nome completo tanto de Pedro 1º quanto de Pedro 2º."

Para o pesquisador e estudioso de santos, José Luís Lira, fundador da Academia Brasileira de Hagiologia, a devoção a Nossa Senhora Aparecida só ultrapassou os limites da então Vila de Santo Antônio de Guaratinguetá, região da descoberta da imagem, quando começaram a se espalhar as histórias de milagres.

"Há o relato da libertação de um escravo chamado Zacarias, preso por grossas correntes que, quando passou pela igreja construída para abrigar a imagem da santa, pediu ao feitor permissão para rezar. Ajoelhado diante de Nossa Senhor Aparecida, as correntes que o prendiam teriam se soltado, tornando-se ele então livre", conta 
José Luís Lira


"Essas histórias foram se espalhando."

Em novembro de 1888, um ano antes da Proclamação da República do Brasil, a princesa teria retornado para Aparecida. Levou uma doação preciosa, conforme afirma Lira: uma coroa de ouro cravejada de diamantes e rubis e um manto azul.

Esta coroa seria utilizada em 1904 em uma cerimônia oficial. "Um representante do Papa a coroou oficialmente Rainha do Brasil", diz o pesquisador Rezzutti.

Segundo ele, isto pode ter ocorrido pela influência de Isabel junto ao Vaticano. "Ela tinha muito contato com a cúpula da Igreja. E isto se reforçou durante seu exílio na Europa, quando a família imperial foi obrigada a deixar o Brasil, depois da República.

Foi muito simbólico a princesa, herdeira do trono e da coroa imperial – que nunca usaria – doar uma coroa para a 'rainha do Brasil'. De certa forma, é como se ela transferisse sua coroa para a santa."

Mas essa coroação não fez de Nossa Senhora automaticamente a padroeira do Brasil.

Oficialmente, isso só ocorreria em 16 de julho de 1930, por decreto do Papa Pio 11º. Conforme contextualiza o teólogo e filósofo Fernando Altemeyer Júnior, havia uma pressão grande das arquidioceses tanto do Rio quanto de São Paulo para que o Vaticano formalizasse tal reconhecimento. Desde então, São Pedro de Alcântara passou a ser considerado "nosso segundo padroeiro", como explica o pesquisador José Luís Lira.

"O ato do pontífice legitimava o que o próprio povo brasileiro já havia consagrado no coração. No decreto, o santo padre afirmou que atendia ao pedido do episcopado e do povo brasileiro, 'o qual com fervor e piedade constantes, desde os anos do descobrimento das regiões brasílicas até nossos tempos, tem venerado e venera a Imaculada Virgem Mãe de Deu", conta Fernando Altemeyer.

No ano seguinte, em 31 de maio de 1931, uma missa solene ocorreu no Rio de Janeiro, então capital federal, para oficializar o decreto. "Para a ocasião, a imagem da santa foi levada em romaria de Aparecida até o Rio", ressalta o teólogo.

O vermelhinho no calendário, entretanto, viria apenas 50 anos mais tarde. A declaração de feriado nacional foi sancionada pelo presidente João Figueiredo, o último presidente da ditadura militar do Brasil, em 30 de junho de 1980, exatamente no dia em que o país recebeu a visita de João Paulo 2º, primeiro papa a pisar em terras nacionais.

A partir daquele ano, portanto, ficou "declarado feriado nacional o dia 12 de outubro, para culto público e oficial a Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil", conforme o texto da lei.

Há, entretanto, uma curiosidade histórica. De acordo com os relatos antigos, a imagem de Nossa Senhora foi encontrada no Rio Paraíba do Sul na segunda quinzena de outubro de 1717 – não poderia ter sido, portanto, no dia 12. Muitos acreditam que a data exata tenha sido dia 17.

Por que então entrou para a história o dia 12 de outubro?

De acordo com historiadores, a escolha da data não foi algo aleatório, mas sim uma decisão simbólica. O 12 de outubro já era um dia importante. Foi em 12 de outubro – de 1492 – que Cristóvão Colombo aportou no continente americano. E foi em 12 de outubro – de 1822 – que dom Pedro 1º acabou aclamado imperador do Brasil.

Pedro 1º, aliás, nasceu em um 12 de outubro, em 1798.

O pesquisador também acredita que a devoção à santa venha aumentando nos últimos anos graças à profusão de canais de TV e espaços na internet e redes sociais dedicados a espalhar a fé católica. "Há uma valorização da padroeira", acredita ele.

O pesquisador ainda frisa a importância de Nossa Senhora Aparecida ser negra, à imagem de boa parcela da população brasileira.

"Nas aparições de Maria Santíssima que foram aprovadas pela Igreja, vemos que Nossa Senhora se tornou semelhante ao povo do local de aparição. A imagem veio com a cor de uma raça sofrida, pequenina, mas, com um sorriso esboçado”. aponta o hagiólogo.

*Colaboração: 
Edison Veiga, de Milão para a BBC News Brasil