Impactos Ambientais

Produtos Elaamil


Anuncie no Site JMDC


Farmácia Estrela Ibicaraí

Pesquisar no site

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Grupos neonazistas se espalham pelo Brasil e crescem 270% em 3 anos

Um mapa elaborado pela antropóloga Adriana Dias apontou que as células de grupos neonazistas cresceram 270,6% no Brasil entre janeiro de 2019 e maio de 2021, e se espalharam por todas as regiões do país, impulsionadas pelos discursos de ódio e extremistas contra as minorias representativas, amparados pela falta de punição. Em entrevista ao "Fantástico", Dias revelou que existem pelo menos 530 núcleos extremistas, que podem conter cerca de 10 mil pessoas ativas, operando no Brasil hoje.

Segundo a antropóloga, a maioria dessas pessoas se identificam como neonazistas e têm em comum o ódio contra feministas, judeus, negros e a população LGBTQIAP+. "Eles começam sempre com o masculinismo, ou seja, eles têm um ódio ao feminino e, por isso, uma masculinidade tóxica. Eles têm antissemitismo, eles têm ódio a negro, eles têm ódio a LGBTQIAP+, ódio a nordestinos, ódio a imigrantes, negação do holocausto", declarou.

Ao "Fantástico", a juíza federal Cláudia Dadico apontou a falta de punição e de uma legislação clara sobre esse tema e contra o discurso de ódio no Brasil, como obstáculo para a punição desses criminosos. Conforme a magistrada, esses discursos não podem ser confundidos com liberdade de expressão. "Os casos que tenho acompanhado da Polícia Federal tem tido realmente um esforço grande no sentido de investigar e punir. O que ocorre é que muitas vezes alguns operadores do direito têm uma compreensão da liberdade de expressão que acaba, de certa forma, obstaculizando a punição desses crimes, que claramente não se situam dentro do campo da liberdade de expressão", afirmou Dadico.

Em outubro do ano passado, a Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu um homem de 58 anos, identificado como Aylson Proença Doyle Linhares, suspeito de estupro de vulnerável contra um menino de 12 anos. No entanto, em seu apartamento, localizado na Vargem Grande, na zona oeste da cidade, os agentes encontraram uma vasta coleção com material nazista, avaliada em milhões de reais.
  

Entre os itens encontrados com Aylson Proença Doyle Linhares, havia 12 fardas originais, bandeiras, um quadro de Adolf Hitler, recortes de jornal dos anos 1950 sobre o nazismo e fascismo, medalhas do Terceiro Reich, capacete militar, e um documento da SS (Schutzstaffel) - organização paramilitar ligada ao partido nazista, com a foto do suspeito — Linhares disse à polícia que sua coleção vale R$ 19 milhões.

De acordo com as leis brasileiras, pode ser preso por um a três anos quem fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos nazistas. Na época, o delegado Maurício Armond informou ao UOL que aquela foi a primeira vez que a Polícia Civil encontrou "um material nazista com todo esse volume, itens, valor material e histórico".

"É algo impressionante e jamais visto por aqui. Não só pela quantidade apreendida, mas pela preciosidade. Obras de arte, fardas e armas originais da Alemanha nazista e muito, mas muito mais. Ele é de uma família de posses. Os pais eram investidores e parte da herança ele usava para essa coleção nazista", acrescentou Armond.

Fonte de matéria: FOLHA

Presidente Bolsonaro fala sobre foto com neta de nazista alemão: "Não se pode ligar um pai a um filho"

O presidente Jair Bolsonaro justificou na quinta-feira (29.7.021) uma foto na qual aparece com Beatrix von Storch, deputada do partido Alternativa para a Alemanha (AfD), investigada pelo serviço de Inteligência alemão por propagar ideias neonazistas, xenofóbicas e extremistas. O mandatário alegou que "a gente não pode ligar um pai a um filho", em referência ao fato de ela ser neta do ministro das Finanças de Adolf Hitler, Lutz Graf Schwer. A declaração ocorreu em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

"Semana passada, tinha um deputado chileno e a alemã visitando a Presidência. Poxa, tratei, conversei, bati um papo. Saiu que a deputada alemã é neta do ex-ministro do Hitler. Me arrebentaram na imprensa. Eu acho que a gente não pode ligar um pai a um filho. Muitas vezes, um fez uma coisa errada e não se pode ligar a outro”, rebateu. “Eu não posso receber essa deputada? Foi eleita democraticamente na Alemanha. Se eu for ver a ficha de cada um para ser atendido, vai demorar horas para atender”, acrescentou.

"Unidos por ideais"

Beatrix von Storch publicou uma foto do encontro nas redes sociais no dia 26 de julho do ano passado ao lado também do marido, Sven von Storch. Na legenda, escreveu que "em um momento em que a esquerda está promovendo sua ideologia por meio de suas redes e organizações internacionais em nível global, nós, conservadores, devemos nos unir". A foto foi tirada dias antes, durante sua passagem pelo Brasil.
 

No dia 22 do mesmo mês, a deputada Bia Kicis (PSL-DF), aliada do chefe do Executivo, se encontrou com a deputada, assim como o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Pelas redes sociais, o filho do presidente afirmou que os conservadores são “unidos por ideais de defesa da família, proteção das fronteiras e cultura nacional”. O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, também recebeu a visita da deputada da ultradireita alemã.


Fonte de matéria: Correiobraziliense/ Ingrid Soares em 29/07/2021

Lula se reunirá com ex-ministros para debater pandemia

Após reunir-se com economistas na semana passada, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) terá nesta terça-feira (18) um encontro com especialistas em saúde. Economia e o combate à pandemia estarão entre os principais temas da eleição deste ano. Lula, que deve ser candidato do PT à Presidência em outubro, participará de reunião promovida pela Fundação Perseu Abramo, ligada ao partido, com ex-ministros e técnicos da área. Devem estar presentes, entre outros, os ex-titulares da pasta Agenor Álvares, Alexandre Padilha, Arthur Chioro, Humberto Costa, José Gomes Temporão e Saraiva Felipe.

"A ideia é discutir o momento da pandemia, fazer um diagnóstico da situação do SUS [Sistema Único de Saúde], analisar a quantidade de leitos disponíveis e discutir formas de mobilizar a sociedade, entre outros pontos", diz Aloizio Mercadante, presidente da Fundação. Segundo ele, o surgimento da variante ômicron, que rapidamente tem se espalhado pelo país, obriga a que se repense o modelo de combate à pandemia. "É preciso atualizar as informações, porque a pandemia está se acelerando fortemente. Em outros países está pressionando fortemente a rede de saúde", afirma.

Nos últimos meses, a Fundação Perseu Abramo vem reunindo especialistas em diversas áreas para discussões, em encontros que deverão ser usados como subsídio para o programa de governo de Lula, quando ele oficializar sua candidatura, provavelmente no meio do ano.

Fonte de matéria: FOLHA

segunda-feira, 17 de janeiro de 2022

Morre 64 anos a atriz Françoise Forton, no Rio de Janeiro

Morreu na tarde deste domingo (16), aos 64 anos, a atriz Françoise Forton, no Rio de Janeiro. Ela estava internada há cerca de quatro meses na Clínica São Vicente, onde lutava contra um câncer. A informação foi divulgada pelo colunista Anselmo Góis, do jornal O Globo. A atriz já tinha tido um câncer no útero em 1989, enquanto gravava a novela “Tieta”. Seu último trabalho na TV foi na novela “Amor Sem Igual”, da Record, em 2019. No cinema, ela fez em 2018 o longa “Coração de Cowboy”.

Françoise estreou na TV em 1969, na novela “A Última Valsa”, e fez mais de 40 trabalhos nas telinhas, entre eles a já citada “Tieta”, “Meu Bem, Meu Mal”, “Perigosas Peruas”, “Quatro por Quatro” e “O Clone”. A atriz também fez oito trabalhos no cinema, e cinco peças de teatro. Ela deixa o marido, Eduardo Barata, um filho, Guilherme Forton Viotti, e duas enteadas, Maria Eduarda e Maria Antônia.

Fonte de matéria: ISTOÉGente

Justiça rejeita pedido de prisão contra Willian Bonner por 'promover' vacinação infantil

O apresentador William Bonner foi acusado de participar de uma organização criminosa, composta por outros profissionais da Globo, para promover os benefícios da vacinação infantil. A “denúncia” ocorre após repercussão do editorial do Jornal Nacional no último dia 6. O signatário da ação, Wilson Issao Koressawa, foi responsável pela ação que pediu ainda a prisão do jornalista citando outros “crimes”. No entanto, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios rejeitou a ação neste domingo (16), que foi definida como “descabida” pela juíza Gláucia Falsarella Pereira Foley. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Bonner foi acusado também de crimes de indução de pessoas “ao suicídio, de causar epidemia e de envenenar água potável, de uso comum ou particular, ou substância alimentícia ou medicinal destinada a consumo". Koressawa ainda pediu que o jornalista fosse proibido de "incentivar a vacinação obrigatória de crianças e adolescentes e a exigência de passaporte sanitário".

"O poder Judiciário não pode afagar delírios negacionistas, reproduzidos pela conivência ativa —quando não incendiados— por parte das instituições, sejam elas públicas ou não", explicou Foley à Folha. Conforme a magistrada, o autor, que é advogado e promotor de Justiça aposentado, não possui legitimidade para solicitar a prisão preventiva do jornalista, já que os crimes mencionados são de ação penal pública e que “a representação é incompatível com a vara criminal à qual foi submetida”. "Vivemos tempos obscuros traçados por uma confluência de fatores. É preciso coragem, maturidade e consistência política e constitucional para a apuração das devidas responsabilidades pelas escolhas que foram feitas", diz a juíza em sua decisão. 

"Os inúmeros mecanismos de pesos e contrapesos da democracia nos colocaram na presente situação, mas será somente por meio dela que o Poder Judiciário, trincheira do Estado democrático de Direito, poderá colaborar para que ensaiemos a superação da cegueira dos nossos tempos", continua. A juíza finaliza destacando que o Supremo Tribunal Federal (STF) entende que as afirmações de Bonner fazem parte da sua liberdade de imprensa enquanto jornalista.

domingo, 16 de janeiro de 2022

OMS recomenda dois novos medicamentos para o tratamento da Covid-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) atualizou as orientações sobre medicamentos recomendados para o tratamento da Covid-19. O Grupo de Desenvolvimento de Diretrizes da Organização recomendou o baricitinibe para indivíduos em estado grave ou crítico da doença. A recomendação também inclui o uso do anticorpo monoclonal sotrovimable para pacientes que não apresentam quadros clínicos graves. O baricitinibe, utilizado no tratamento de artrite, é conhecido pela capacidade de regular o processo de inflamação do organismo.     As informações são da CNN Brasil.

Evidências científicas sobre a utilização do baricitinibe associada a outros recursos, como corticoides, mostram que o medicamento pode contribuir no controle da inflamação, reverter quadros graves da doença e reduzir a necessidade de ventilação.

A OMS desaconselha o uso de outros dois medicamentos (ruxolitinibe e tofacitinibe) para pacientes com Covid-19 grave ou crítica, devido a pouca evidência sobre o benefício dos fármacos para a doença. O uso do sotrovimable é indicado apenas para pessoas com maior risco de hospitalização. O anticorpo monoclonal imita a capacidade do sistema imunológico de combater o novo coronavírus. O medicamento é de uso restrito em hospitais e não pode ser vendido em farmácias e drogarias. A dose recomendada é uma dose única de 500 mg, administrada de forma intravenosa. A OMS é contra o uso de plasma convalescente, ivermectina e hidroxicloroquina em pacientes com Covid-19 independente da gravidade da doença.

Fonte de matéria: ISTOÉ

Forças Armadas demonstram distanciamento a Bolsonaro e é sinalização a Lula

Os recentes episódios em que as Forças Armadas demonstraram distanciamento do governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PL) são ao mesmo tempo sinalização de posição e aceno a outros candidatos na disputa presidencial, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à frente. Segundo a Folha ouviu de oficiais-generais das três Forças, apesar de a interlocução com o petista ser basicamente inexistente neste momento, os eventos falariam por si e serviriam para tirar o bode de um golpe militar contra Lula em caso de vitória em outubro.

Nas duas últimas semanas, alguns fatos se colocaram na sempre espinhosa relação entre os militares e Bolsonaro, a saber:

1. O Exército determinou que todos os 67 exercícios militares programados para o ano fossem encerrados até setembro para liberar a tropa no caso de haver violência eleitoral ou, ainda pior, algum cenário ao estilo Capitólio dos EUA.

2. A mesma Força lançou diretrizes no trato público da pandemia que vão contra o negacionismo preconizado por Bolsonaro, em particular criminalizando a divulgação de fake news, tão ao gosto do bolsonarismo, o que causou ruído no Planalto.

3. O diretor-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), almirante Antonio Barra Torres, divulgou uma duríssima nota chamando o presidente à responsabilidade por ter acusado o órgão de ter interesses escusos na vacinação de crianças, que Bolsonaro critica.

O conjunto de eventos, dizem fardados em altos postos do serviço ativo, estabeleceu de saída no ano eleitoral uma linha divisória entre a balbúrdia presidencial e as Forças. Mais que isso, buscou dizer aos candidatos ao Planalto que, independentemente de quem vença a eleição, a Força se manterá neutra.
Os atos foram necessários já que, do ponto de vista de imagem, o caráter militar do governo Bolsonaro causa justificável apreensão da esquerda à direita.

O foco, dizem generais, almirantes e brigadeiros, é, claro, Lula. O petista até tentou estabelecer uma ponte com os fardados no ano passado, mas não foi bem-sucedido. Há entre os militares um sentimento refratário ao petista devido ao que consideram leniência com a corrupção, tanto que a candidatura de Sergio Moro (Podemos), o ex-juiz que colocou o petista na cadeia por 580 dias, levantou interesse em setores fardados.

Por outro lado, na cúpula, há o pragmatismo de que hoje Lula é o favorito para vencer a eleição. A leitura benigna é de que os militares buscam reiterar isenção; a mais maquiavélica é a de que não querem revanchismo por parte do novo chefe, caso o petista volte ao poder. De todo modo, todos os ouvidos lembram o que chamam de tempos de vacas gordas sob Lula, quando a bonança internacional das commodities e uma gestão fiscal responsável até a etapa final de seu mandato permitiram o reequipamento das Forças com programas como o de submarinos, de caças e de blindados.

Segundo interlocutores do ex-presidente, ele ainda vê com reserva o comportamento do Exército em 2018, quando o então comandante Eduardo Villas Bôas pressionou o Supremo Tribunal Federal em um tuíte para não conceder habeas corpus que evitaria sua prisão.

Fonte de matéria: FOLHA

sábado, 15 de janeiro de 2022

Governo da Bahia decreta punição a estabelecimentos que desrespeitarem limite de público em eventos

Foi publicado no Diário Oficial do Estado, edição desta sexta-feira (14), o decreto determinando que o Corpo de Bombeiros Militar da Bahia observe a aplicação de penalidades a estabelecimentos que descumprirem o limite máximo de público nos eventos realizados no estado. As punições são: advertência escrita; multa; embargo temporário ou definitivo, de obras e estruturas; interdição total ou parcial de obras, eventos, estabelecimentos, máquina ou equipamento e cassação do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros – AVCB.

Na segunda-feira (10), após reunião com a secretária de Saúde, Tereza Paim, o governador Rui Costa decidiu reduzir de 5 mil para até 3 mil o número máximo de pessoas em eventos em todo o território baiano, incluindo estádios de futebol.
O decreto foi publicado na terça-feira (11) e vale até o dia 25 de janeiro. Além do número máximo de 3 mil pessoas, os eventos devem obedecer à regra de lotação máxima de 50% da capacidade de cada local. Estão mantidas no decreto as obrigatoriedades da comprovação de vacinação contra a Covid-19 e do uso de máscara pelo público e demais participantes dos eventos.

Essa exigência se estende a bares e restaurantes, que devem exigir dos clientes o comprovante de vacinação. A decisão pelo reforço de medidas de maior restrição ocorre para tentar conter o aumento dos registros de H3N2 e de casos de infecção pelo coronavírus. 

Saiba como pagar contribuições atrasadas do INSS e planejar a aposentadoria

O trabalhador que não fez o pagamento da contribuição ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em algum período pode fazer o recolhimento retroativo.        O recolhimento retroativo é possível até cinco anos, com o pagamento dos encargos financeiros do atraso, as multas e os juros. Após cinco anos, apenas com a indenização previdenciária, uma maneira de ressarcir o INSS pela falta de recolhimento das contribuições devidas no período. No caso dos empregados e empregados domésticos, a responsabilidade do recolhimento da contribuição é do empregador.

Os contribuintes já inscritos com dívidas dos últimos cinco anos podem pagar os atrasados no site da Receita Federal com a emissão da Guia da Previdência Social ou no Meu INSS. Para comprovar a atividade remunerada, o profissional pode apresentar: contrato de prestação de serviços a pessoa física ou jurídica; recibo de pagamento pela prestação de serviço; cópia da declaração do Imposto de Renda; inscrição na prefeitura na atividade que está exercendo; recolhimento do Imposto Sobre Serviço e demais tributos relacionados à profissão.

Fonte de matéria: ISTOÉ

Ator e apresentador Otaviano Costa é contratado pelo SBT

O apresentador Otaviano Costa assinou um contrato com o SBT para comandar um novo programa. Ele ficou longe da TV aberta por dois anos e agora vai apresentar o programa “Mestres da Sabotagem”. Animado, Otaviano comemorou a oportunidade: “Era a hora certa para voltar à TV. Estou com meu estúdio a pleno vapor, a nossa agência criada e produzindo muitas coisas”.

“E acrescentar a TV novamente a toda essa engrenagem me deixa plenamente realizado e feliz. Que bom que é estar de volta ao SBT, a casa dos grandes comunicadores, a emissora onde tudo começou para mim. E é claro, fazer um reality com a incrível Discovery também me deixa muito empolgado. Bora todo mundo pra cozinha!”, disse ele em comunicado à imprensa. No reality “Mestres da Sabotagem”, quatro competidores batalham por um prêmio de até R$ 25 mil.
O objetivo, além de vencer, é sabotar os adversários. Além do SBT, o programa também é exibido pela Discovery.

Fonte de matéria: Jetss

sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

Covid-19: Bahia registra 8.560 casos ativos; oito óbitos nas últimas 24 horas

A Bahia atingiu, nesta sexta-feira (14), 8.560 casos ativos da Covid-19 de acordo com dados divulgados pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab). A pasta ainda detalhou que, nas últimas 24h, foram contabilizadas oito mortes e 2.430 novos casos conhecidos da doença no estado. O número de casos ativos é o maior desde 24 de julho do ano passado, quando o estado apresentou 9.042 casos ativos para Covid-19. A Sesab informou que os dados ainda podem sofrer alterações devido à instabilidade do sistema do Ministério da Saúde.

O boletim também traz dados da ocupação dos leitos de UTI no estado. Em Salvador, por exemplo, a taxa de ocupação dos leitos de UTI pediátricos está em 80%. Dos 1.286.166 casos de Covid-19 confirmados desde o início da pandemia, 1.249.956 são considerados recuperados e 27.650 morreram. Além disso, 1.710.051 casos foram descartados e 280.464 estão em investigação. Na Bahia, 53.417 profissionais da saúde tiveram exames com resultado positivo para Covid-19.

Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17h desta sexta-feira. O boletim completo está disponível no site da Sesab e no Business Intelligence.

Fonte de matéria: g1.com/Bahia

AstraZeneca e Janssen têm novo possível efeito colateral


A Agência Europeia de Medicamentos recomendou nesta 6ª feira (14.jan.2022) acrescentar uma rara inflamação vertebral como um possível efeito colateral das vacinas da AstraZeneca e da Janssen. Eis a íntegra, em inglês. Segundo a agência reguladora, a relação causal entre as duas vacinas e a mielite transversa é uma possibilidade razoável. No entanto, a EMA (Agência Europeia de Medicamentos) afirma que a relação risco-benefício de ambas as vacinas continua inalterado.

Chamada de mielite transversa (MT), a inflamação ocorre na medula espinhal e pode causar fraquezas nos braços ou pernas. A doença também gera sintomas sensoriais, como formigamento, dormência, dor ou perda da sensação de dor, e problemas no sistema urinário e digestivo.

“Os profissionais de saúde devem estar atentos aos sinais e sintomas da MT, permitindo diagnóstico precoce, cuidados de suporte e tratamento. As pessoas que receberem qualquer uma dessas vacinas são aconselhadas a procurar atendimento médico imediato se desenvolverem sintomas da doença”, disse a agência.

Fonte de matéria: 
Poder 360

Secretários estaduais de Fazenda decidem encerrar congelamento de ICMS sobre combustíveis

O Comitê Nacional de Secretários da Fazenda (Comsefaz) divulgou nesta sexta-feira, 14, que vai encerrar o congelamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre os combustíveis na data originalmente prevista de 31 de janeiro. O governador do Piauí e coordenador do Fórum Nacional de Governadores, Wellington Dias, divulgou nota afirmando que “Fizemos a nossa parte com o congelamento do preço de referência para ICMS, mas não valorizaram este gesto concreto, não respeitaram o povo. A resposta foi aumento, aumento mais aumento nos preços dos combustíveis”.

O governador considerou ainda que os aumentos da gasolina e do diesel têm servido apenas para “aumentar os lucros da Petrobras" e cobrou uma solução definitiva para os combustíveis por meio da reforma tributária. “A maioria dos Estados votou para manter a regra do congelamento somente até o fim de janeiro, considerando o fechamento do governo federal para o diálogo e os sucessivos aumentos dos combustíveis, sem preocupação com o impacto econômico e social”, completou.

Antes do congelamento, o ICMS incidia sobre o preço médio ponderado ao consumidor final, que é reajustado a cada 15 dias. Cada Estado tem competência para definir a alíquota. Segundo dados da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis (Fecombustíveis), ela varia entre 25% e 34% na gasolina, dependendo do Estado. Mesmo com o ICMS estagnado desde 1º de novembro, o preço dos combustíveis continuou a subir nos postos. O preço final dos combustíveis é composto pelo valor cobrado pela Petrobras nas refinarias (atrelado ao preço do barril do petróleo no mercado internacional e ao câmbio), mais tributos federais (PIS/Pasep, Cofins e Cide) e estaduais (ICMS), além das margens de distribuição e revenda e do custo do biodiesel, no caso do óleo diesel, e do etanol, na gasolina.

Fonte de matéria: ESTADÃO

Lula disse querer rever reforma trabalhista no Brasil

Menos de cinco anos depois de ser aprovada no Congresso e implementada no Brasil, a reforma trabalhista do governo de Michel Temer (2016-2018) voltou a ser pauta na agenda política brasileira, após manifestações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Lula, que é pré-candidato ao Planalto nas eleições deste ano, publicou no Twitter na semana passada: "É importante que os brasileiros acompanhem de perto o que está acontecendo na Reforma Trabalhista da Espanha, onde o presidente [de governo, cargo equivalente ao de primeiro-ministro] Pedro Sánchez está trabalhando para recuperar direitos dos trabalhadores". O tuíte era acompanhado de um link para uma reportagem do site Brasil de Fato, com críticas à reforma.

Na terça-feira (11/1), Lula se reuniu virtualmente com sindicalistas e com o Partido Socialista Operário da Espanha (PSOE), que voltou ao poder no país em 2018 e vem discutindo formas de reverter a reforma trabalhista implementada na Espanha em 2012. No encontro promovido pela Fundação Perseu Abramo, ligada ao PT, esquerdistas brasileiros e espanhóis concordaram em continuar as discussões para revisar as leis trabalhistas em ambos os países. O partido espanhol publicou no seu Twitter após o encontro: "A partir do diálogo e do acordo constroem-se grandes avanços".

Covid19: Ômicron avança sem controle pelo país e ameaça provocar novo colapso em sistemas de saúde


A variante Ômicron do coronavírus fez explodir o número de casos de Covid-19 no Brasil neste início de 2022 em uma velocidade jamais vista no país, provocando transtornos em diversos setores da economia e forçando Estados e municípios a restabeleceram medidas de restrição na tentativa de evitar um novo colapso no sistema de saúde. Assim como no início da pandemia em 2020, os profissionais de saúde têm sido duramente atingidos pela nova variante, que é reconhecida por seu grande poder de transmissão, ainda que com menor letalidade.

Hospitais pelo país têm sofrido com o afastamento de funcionários contaminados pela doença, justamente no momento em que cresce a demanda de pacientes infectados tanto pela Covid-19 como por um surto simultâneo de influenza, exigindo mais dos médicos e enfermeiros.

"Se você não tem nenhum amigo contaminado neste momento significa que você não tem amigo", disse César Eduardo Fernandes, presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), sobre a dimensão da disseminação da doença. "O número de afastamentos triplicou em quatro semanas em relação ao número antes da Ômicron, mostrando como essa variante está se espalhando. A situação é preocupante, e possivelmente alguns serviços vão colapsar", acrescentou.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, reconheceu esta semana que a Ômicron traz um receio de um "novo impacto no sistema de saúde com a perspectiva de colapso e perdas de vidas", mas ressaltou que o Sistema Único de Saúde (SUS) foi fortalecido durante a pandemia e conseguirá lidar com a situação. No entanto, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) alertou para o aumento da taxa de ocupação de leitos de UTI de Covid-19 na rede pública.

"Olhando estritamente as taxas de ocupação de leitos de UTI observadas em 10 de janeiro, em confronto com a série histórica do indicador, o país voltou a ter um terço das unidades federativas e 10 capitais nas zonas de alerta intermediário e crítico. Assinala-se o alerta para o crescimento da demanda por recursos assistenciais complexos e a necessidade de acionamento dos planos de contingência, envolvendo a reabertura de leitos", disse a Fiocruz.

Fonte de matéria: REUTERS